segunda-feira, 23 de abril de 2012

Maternas asas



A mente confusa
me acusa do sono roubado
não quer descansar
olhos vidrados em pleno voar

O dia clareando
pássaros cantando
silêncio no resto da casa

Dorme em mim
a mãe leoa
a mão patroa
a mãe bela
a mão fera
adormecem sem voz

O vazio da idade
faz a maternidade sangrar
rio vermelho que foi sumindo
solidão mulher veio surgindo

filhos de asas,partiram

Não voamos mais juntos
estanquei
em raros momentos de voos : eu solo...

 

Adriane Lima


(imagem :Sophie Wilkins )
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...