sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Poema do Amor Moderno

 
"Vem cá Luiza me dá tua mão
o teu desejo é sempre o meu desejo" ...

Ah, como ouvir Jobim é mágico
consolando-me de amores
nunca nem existidos ou
sonhados pelo coração
 

só de se pensar em uma mão
que nos proteja, já é poema
por pura visão do gesto
 

amores de hoje
não almejam futuro
nem solidificação
 

possibilidades em momentos:
mentem só por mentir
partem só por partir
 

efêmeros, insólitos e
não menos verdadeiros
já que falsos, são os amantes
 

Hoje se ama com paixão
a louca mão do desejo como
bailarinas em caixa de música
que se fecham depois do ensejo
 

janelas de tantos amores
promessas onde tudo falta
e nós modernos farsantes
lemos de Rimbaud a Kafka
 

Amores clonados de outrora
entre "Romeus e Julietas"
adoramos tudo que nos transborda
 

Por sermos atuais e não românticos
queremos tudo no agora
 

Amar no hoje é o que importa
sonhar a dois jamais
 







Adriane Lima












Arte by Ricardo Celma 

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Brevidades




E quando você vier
que farei com tua voz
em meu ouvido

com tuas mãos
em meus cabelos
com teus dedos
em minhas pernas

com tua pele
em minha pele
com tua boca
junto a minha

dançaremos um tango
comeremos o manjar dos deuses
beberemos até cair ?

e depois, exaustos...

seguraremos a lua
que tanto nos guiou

apagaremos as estrelas
que tanto nos inspirou

nada disso...

a brevidade da vida
já nos arrasta para tantos caminhos

apenas ficaremos imóveis
por alguns segundos
olho no olho e a vida inteira
nos dará sentido



Adriane Lima



 





Arte by : Jean Looup 

Poema do silêncio



Hoje não acerto 
palavras em um poema
algo nas entrelinhas
escapa de antemão
a desmedida saudade
é maior que o coração
silêncio em versos
pensamentos vãos 
 







Adriane Lima



Arte by Moon Lyk 

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Assombro do universo



 
 
De tanto te ver
me fiz tua
de tanto desejar
me fiz mar
e de tanto esperar
me fiz asa
 
Nesse dia, não voei
me fiz casa
você me deu a coragem
que já havia em mim
 
e te contemplei
com um grande amor
 
sem casa,sem asa
sem mar, sem flor
 
só nós e o amor
despudorados e únicos
além de tantos
despropósitos

 

Adriane Lima




Arte by Dun Hyudn

Sou flor sim



Não sei muito de espécies
mas me sei assim :

Flor
sou daquelas que dobram a haste
e colocam em recipientes e dizem:
brote de novo
as flores renascem fácil
 

Sou flor assim
um tanto margarida
me despetalando sempre
um tanto jasmim
buscando o céu
 

não me sinto amor perfeito
isso nem teria jeito
algo tão delicado
 

mas, sou flor
 

sou tipo as flores miudinhas
que gostam de companhia
e formam arbustos
a bela emília, a miosótis
delicadas e resistentes
 

ás vezes me sinto a orquídea
esquecida depois de florir
só lembrada na próxima estação
amarrada em algum canto
esperando novas floradas
 

arrancada pela palma das mãos
de jardineiros
que nem entendem de flor
 

como flor busco sol
chuvas de acolhimento
mudanças de estação
ciclos infinitos
 

sou flor sim,
 

algo em mim enraíza
não mais asa, não mais brisa
sensação de estar plantada
em um chão delimitado
 

uma vida roda aqui dentro
e não pode ser vivida
 

melhor ser arrancada
e posta em ramalhetes
enfeitar lugares novos
 

afinal,  flor não tem sentimento
 


Adriane Lima

 
Arte by   Duy Huyhn

domingo, 25 de novembro de 2012

Barcos de passagem





Não, eu não entendo de amor
mas tenho verdades
que moram em mim

não acredito nesse Amor
que vejo se espalhar por ai :
de paralisar o tempo
de exceder vontades
reverberar saudades
e acalentar escolhas

não, muito obrigada
não sei servir o
que tenho de melhor
pela metade

tudo em mim fenece
e torna ausência
feito vazio de pescador
voltando aos cais de partida
sem peixe na rede

amor é razão mastigada
credibilidade passional
pouco importa
se uma estrela morre
a mil anos luz daqui

importa é que amor morre
a qualquer hora
em sonhos sem respostas

o amor é o silêncio
que grita para ser entendido
para ser sentido
e fazer sentido

se não for assim
estaremos brincando de amor
levados pela correnteza

 





Adriane Lima










Arte by Stanislavas Plutenko

sábado, 24 de novembro de 2012

Cárcere e canções








O poeta sumiu,entre tantos outros que somem ele se cansou de ser só mais um.
Mas, bem que ele avisou:" sou um cara difícil de domesticar, gato violento e cruel?
 Ora, ora!

Mesmo sendo apenas um "Rapaz latino americano",sem dinheiro no banco, ele depositou suas certezas em ir para um lugar comum com 'folhas verde de tabaco e o guaraná guarani,".

Diga lá, tristes trópicos, e então daqui saiu!!!

Ficamos sabendo que se mandou para o Uruguai.
Será que ninguém percebeu que o passado nem sempre é uma roupa velha,que já não nos serve mais???
Muitas vezes um passado de glórias e reconhecimentos nos serve ,sim!!!!
Ele cometeu os mesmos erros, não suportou perder o brilho e viu que o tempo andou mexendo com muita gente, sim!!!
Inclusive com ele!!!
Anjo, herói, prometeu, poeta e dançarino a glória feminina existe e não se fez em vão
e se destina a vir ao gozo a mais do que imagina o louco que pensou a vida sem paixão.
Mas, suas letras sempre tão presentes,jamais se apagarão dentro de seus fãs.
Só que Belchior,abriu os braços,voou e perdeu o medo de avião,esqueceu Copacabana,o mar e as borboletas.
E sendo a felicidade uma arma quente, não conseguiu agarra-la dentro de sua "Retórica sentimental".
Não houve tempo para escrever uma "carta a respeito de Jonhn", nem para ensinar que viver nem sempre é uma necessidade.
Apenas para nos dizer: e se você vier me perguntar por onde andei
No tempo em que você sonhava.
De olhos abertos, lhe direi:
- Amigo, eu me desesperava....eis que sua resposta estava estampada em várias letras que cantou.
E que fragmentar-se,suicidar-se, viver a Divina comédia humana onde nada é eterno... foi sua salvação.
E enquanto houver espaço,corpo e tempo e modo de dizer-nos...
Cante!!!!
Porque você apenas saiu de cena,cansado de não ser o cantor de reconhecimento como merecia ter sido.
 Acredito que ao ouvir:"o fim do termo saudade como charme brasileiro ,de alguém sozinho a cismar...você vai pensar e voltar!!!!
E eu como sua fã de épocas de faculdade,tenho você infinitamente em mim...canções que jamais deixarei de ouvir!!!








( Adriane Lima)


Bom,fiz esse texto qdo ele sumiu...como toda fã,que se preze e o encontrei esses dias em minhas pastas antigas !!!!

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Poema das seis horas



 

Um céu infinito
de um azul espelho d'alma
uma lua pela metade

uma aeronave cortando tudo

Ave Maria, entendi tuas horas
sei que agora
é hora das aves irem dormir

 
 
Adri Lima
 
 
 
 
Arte by  Jia Lu

Voo absoluto






Pare de fazer versos
com o que lhe digo em prosa
já me entreguei para você
consigo até entender
o bom do amor é
feito espinho em rosa


 








Adriane Lima  


 








Arte by  Pam Hawkes

Todo dia, poesia

 
 
A casa vazia, agrega versos
palavras pousam em mim
e invento ninhos
entre mémorias
passarinho em poesias

 
Adri Lima
 
 
Arte by Michael Parkes 

Desespero

 
Beijei a lágrima
caída de teu olhos meu amor
conheci o mar de perto
naufrágio desesperador


 
 
 
Adri Lima
 
 
 
 
 
 
 
 
 
(imagem retirada da net )

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Represando poemas



 
 
 
Há tantas emoções desencontradas
e que caminham, para onde,não sei
uma tinta que não quer escoar no papel
um céu de nuvens esparramadas
um poema que espera que eu o termine
 

Dias onde todas as palavras
são o que são
dias sem imaginação
pés sem sonhos
cabelos em desalinho
 

O plástico das horas
enrolando aquilo que me envolve
alma deseja leveza
das pétalas
cores da tela diária
que vejo em minha janela
 

mistura essa que não vem
das letras, nem das flores que avisto
mas, de meu olhar sobre o mundo
 

Nem todo sentimento merece
um lamento,uma carta,ou um telefonema
muito menos um poema

 

o que estanca,não precisa
ser explicado, deixei-o ali
na estante dos recados amassados
para poesia existir basta
um instante de minha dor ou amor
 

Mas o mês de novembro é lento
é a ante véspera das luzes ansiadas
aproprio-me de vontades e mais nada

 




Adriane  Lima




Arte by  Pat  Erickson 

Lendária






Existe em mim um vulcão
uma janela para a loucura
que horas vem ,outras vão

e me enchem de bravura

Existia um planeta imaginário
quando eu pensava nele...
uma lenda eu criei
homem, santo ou rei
com uma força jamais pressentida
por onde eu penetrei

E dentro desse furacão
ele era um convite lúcido às estrelas
lua cheia em céu escuro
sem São Jorge ou dragão.
havia mais que o céu em nossas mãos

E desatei o fio,da memória
do novelo,da navalha e flutuei
fui me prendendo aos tantos nós
luas,mares,viagens e ensejos
noturnas histórias e desejos

E como um tecido que desfia
eu vi o sonho definhando
não havia homem.nem santo,nem rei
apenas o fruto imaginário, ao qual me agarrei

 
Adriane Lima


Arte by Wend NG

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Poema pagão




Mais uma vez eu o brinquedinho
mais uma vez em tuas mãos
mais uma vez destruída

Não chega?


O que desejas de mim?
Se há um Deus
e há de haver
que ele veja onde
me deixou...

Haverá sempre uma saída?
eu aqui nessa estrada
passageira ou condenada
Não sei ainda.

Desassossego é sempre
esse assombro
cair,ficar em escombros
e de novo
de novo me reerguer

Se você me vê,olha aqui
em baixo, bem de frente
ao meu cansaço

Sou valente por dentro
me derreto em dor
mas ando cansada de
ajoelhar por injustiças

Padecer entre tantos
contratempos
ainda existe uma fé
que me leva a ti

Só não me peça
algo que nunca entendi
oferecer a outra face
a quem nunca ofendi

 
Adriane Lima




Arte by  Ricardo Celma

Versos perdidos


Não lembro :

se perdi meu verso na esquina
na gaveta ou entre travesseiros

fiz ele entre lapsos,memórias
lágrimas de uma história
e um coração doído

vai ver que foi melhor assim

ficar perdido,entre a solidão
desses dias em desalinho
onde festas perdem o brilho
e os gestos são em vão

deixarei quieto o poema

versos perdidos
são presentes ao infinito
faço esse acordo e entendo :

que as palavras tem vontades

 
 
 
 
 
 Adriane Lima





 


Arte by  Pat Erickson 

domingo, 18 de novembro de 2012

Crônica : "Para os meus amigos anjos ..."


E porque ela acreditava em anjos,eles existiam.
Assim disse Clarice Lispector,mas, estaria ela certa??


 

Acredito que sim.
Anjos existem!
Em muitos momentos da vida ,senti a presença deles,especialmente,nas horas em que me sentia meio perdida ou desanimada,eles me apoiaram em suas asas, ,outras vezes abrigaram-me sob elas.Inúmeras vezes sussurraram palavras orientadoras,mostraram-me caminhos.
Desde criança,quando me entristecia e não encontrava uma saída para minhas dores,corria para meu canto de solidão,ou talvez fosse meu lugar ideal de descanso e olhava o infinito e para minha alegria,lá estava um Anjo me acenando. Tranquilizava-me e sorria feliz e até me esquecia do que me havia machucado.
O tempo passou,cresci,mas nunca dispensei a proteção angelical.Fazem parte da minha vida!
Guardo, na memória ,várias dessas absolutas certezas de sua existência.Eles se manifestam sob as mais diferentes formas e muitas foram marcantes.
Lembro-me de que tive um Anjo amigo,que veio na forma de um cachorro.Como nos conhecíamos bem. Esperava-me em frente de casa ,no horário em que eu saía do colégio e isso ele o fazia todos os dias. Nosso encontro era uma festa ! Era o meu companheiro fiel e alegre. Andávamos pelas ruas da cidade como dois velhos amigos e me sentia nas nuvens,muito leve e calma,como só os Anjos nos deixam.
Mas,um dia,tive uma triste surpresa:meu pai havia dado o meu cachorro.Chorei ,chorei...até ficar com dó de mim,como cantou Chico Buarque,mas naquela época ,eu não” podia tomar um calmante,um excitante ou um bocado de gim”,o meu consolo era subir na frondosa mangueira que havia no quintal onde passava as horas difíceis conversando durante horas e horas com um Anjo etéreo ,até os sorrisos brotarem novamente em mim.
Recorrendo aos Anjos,aprendi a aceitar as perdas,de uma maneira mais suave e entendi que na vida,nem sempre somos ganhadores.
Assim,cresci vendo Anjos e recebendo suas lições.E quando vieram as perdas de pessoas amadas,senti-os ao meu lado,confortando-me. Percebo sua presença pelo calor em minhas costas e ouço-os soprando nos ouvidos:”Tudo isso aqui é terreno...Quem você ama sempre estará com você.Fique em paz,eles continuam vivendo”
Passei a entender a morte como um ciclo da vida,não aceitando-a, mas entendendo-a.
Com a aproximação do nascimento do meu primeiro filho,um grande medo se apoderou de mim e recorri aos Anjos,pedindo proteção e forças. Muito jovem e inexperiente,apressara a maternidade,mas meu Anjo não me abandonou. Quando o médico colocou em meus braços um bebê lindo e rosado,tive a certeza de que segurava um Anjo celeste ,de lhos azuis e doces. Dei-lhe o nome de Gabriel,como o do principal Arcanjo. Gabriel significa a voz de Deus,o transmissor das Boas Novas,a Revelação.
Acreditei num recomeçar. E mais uma vez,tive a certeza de que Anjos existiam...
Aprendi a Oração do Arcanjo Gabriel ,que diz:
Gabriel,Príncipe e Senhor...
Faça-me invisível para as maldades deste mundo.
Acompanhe-me, Anjo Gabriel
Para que nada de mal me aconteça
Nem meu corpo seja ferido por pessoas maldosas.
Fique sempre comigo.
Preencha-me de luz e de amor divino ,Anjo Gabriel.
Amém
Os Anjos sempre estiveram comigo e a cada dia ,mais sentia a existência desses seres etéreos
Como mãmae nasceu no dia Dos Anjos da Guarda,num aniversário,presenteei-a com o livro do qual fazia parte,o tarô dos Anjos.As cartas eram belíssimas! As estampas de Anjos em quadros de artes.Mamãe gostou do presente e estudou o significado das cartas..Eu ficava admirada ,quando ela as decifrava para mim! Acertava assustadoramente o meu futuro.
E as palavras me soavam vindas da figura de um Anjo.
Vi minha vida passar por tantas mudanças! Aprendi a suportar tudo , com mais responsabilidade,mais cansaços,mais “nãos da vida”,mais dores e mais solidão!Aprendi que não era nada do que imaginava ser e que,por algum tempo,realmente,não sabia mais quem era,o que buscava,o que amava e nem mesmo sabia o que me fazia feliz!
Felizmente,existem os Anjos! Houve um momento da vida em que estava muito fragilizada,sem chão,sem esperanças,porém apareceu-me um Anjo que me levou aos céus ,por um longo período! Ele adivinhava meus pensamentos,meus sonhos,antecipava meus gesto e,valorizava-me,mas por eu ser terrena demais,não soube entendê-lo e deixei-o partir. Passava por um ciclo de transformações e crescimento ,não estava pronta para detê-lo...
Sofri muito,como nunca sofrera na vida, senti–me vazia,pequena e muito só! O que teria me acontecido se não acreditasse em Anjos?
Graças a Deus e aos Anjos a capacidade de adaptação do ser humano é imensa e maravilhosa!
Depois de algum tempo,me reconheci mais amadurecida,mais completa.Aquela meia pessoa havia se transformado,estava mais poderada e paciente e completa de novo.
A maturidade também me fez sentir,ainda com mais intensidade um amor que existia em mim.O amor que dói na alma,que me faz chorar sozinha ,embaixo do chuveiro.Amor que fere ,mas que a gente não quer que ninguém saiba.Amor que faz a gente passar noites acordada .E foram os Anjos que me ajudaram a suportar a dor e me ensinaram que era preciso me calar diante das escolhas do filho.Mostraram-me ainda que era preciso me controlar ao ver a filha chegar em casa,entrar para o quarto,sem me dizer uma palavra,como se eu fosse invisível.Sim,controlava-me e pensava:” é os Anjos são invisíveis”!Durante muitos anos suportei desilusões e sei que se não fosse a presença dos Anjos,dando-me forças,não teria suportado tantas dores.
As pessoas estão acostumadas a julgar e não entendem o porquê de nossas escolhas e silêncios. Perdi empregos,joguei fora uma profissão,esse foi o refrão que mais ouvi. Mas,quando me retirava e ficava com meu silêncio,ouvia vozes sopradas em meus ouvidos,em forma de força e de poesia.
Ninguém mais do que eu,sofreu com as escolhas que fiz.
“Menina mimada”que teve tudo o que sempre sonhou,de repente,transformou-se .Agora,fico em casa,veste roupas velhas,cheias de tinta,buscando talvez,dar um colorido às tardes silenciosas e solitárias.A Mimada menina perdeu a liberdade que fazia parte dela...e tenho a certeza de que foram os Anjos que me ajudaram a buscar saídas e fizeram aflorar em poesia,em arte, a minha sensibilidade.
Tanto nas coisas boas ou ruins que me aconteceram,apareceram Anjos que me deram forças, através de uma palavra amiga,um abraço especial,um ouvido para as minhas angústias. Apareceram em forma de pessoas especiais.Vários de meus amigos em momentos de muita aflição, tinham todos o tamanho e o modelo para a minha necessidade do momento. Sei que eram Anjos...
Conheci as pessoas mais inusitadas,em épocas e formas ,mais ainda e sabia que eram Anjos.pessoas que acabava de conhecer ,mas que pareciam amigos de longa data.,tamanha as afinidades e a vontade de tê-las por perto.Muitas delas,vindas do mundo virtual,através das redes sociais,mas que me deram acolhimento até mais que as do mundo real, que me viam sofrer.Também encontrei Anjos,nas mesas dos bares,nos corredores das lojas,na troca de ideia para a compra de um CD ou escolha da ração para o meu cachorro.Percebia –os na força do olhar,e de repente,lá estávamos nós conversando,rindo,trocando ideias.Eram pessoas em busca de algo maior,de humanidade,de amizade e não de transitoriedade.Lembrei-me de uma frase que diz:”A gente vive como se fosse imortal!”
È verdade,temos tanta soberba,tanto orgulho,tantos atalhos dentro de nós,que nos esquecemos de que aqui tudo é mutável e cíclico.Se hoje temos,amanhã poderemos não ter nada.
E assim,passei a viver meu “Carpe Diem”...um dia após o outro.
Mas nunca perdi a esperança de dias melhores,em que voltaria a me recompor,a seguir em frente,mesmo doendo,mesmo tendo sonhos rasgados,mentalizava para que os Anjos não me deixassem desabar
E os Anjos sempre aparecem pra me mostrar o valor de uma amizade,dão-me a certeza de que nunca estarei sozinha. Anjos que admiram minhas palavras,meus gestos! Anjos que me apontam e me mostram que sou especial!E foi por eles que me reergui,voltei a acreditar em mim novamente e fui à luta.
Muitos Anjos passaram e passam por meu caminho e eu os reconheço pela energia impulsionadora que possuem e me fazem prosseguir com meus sonhos e projetos,mesmo que algumas pessoas desacreditem.
Acredito em Anjos,porque eles existem....Nunca se esquecem de um pedido meu,estão sempre prontos a colaborar,Mostram-me a beleza das artes,da música,das poesias.
Isso só pode ser coisa de Anjo!
Eles estão presentes no cheiro de saudade ,que sinto, quando deixo a mente flutuar ou quando contemplo as estrelas no céu a brilhar,sem nada para pensar,lá estão eles. Ou no caixa do supermercado que sorri de uma forma que só um Anjo sorri.No olhar de uma criança,sentada num carrinho que vira o rosto para me ver passar;no homem ao lado,que olha de um jeito especial,como se me atravessasse e dissesse:”estou aqui”,sim.
Sei muito bem aonde estão todos os Anjos.
Presentes que a vida foi me dando e eu fiz questão de abrir e guardar.
E a cada dia sou presenteada com mais outros Anjos,que vêm do nada,me aquecem a alma,seja na solidão da noite ou em minha jornada...
Eu os vejo e sei que existem...
Obrigada,Anjos porque sei que nunca estarei sozinha,além da mágica presença das estrelas.
 

Sim, Clarice estava certa, porque eu acredito,eles existem !!!

 


Adriane Lima

sábado, 17 de novembro de 2012

Reversos de asas



Madrugada arde
silêncio mortal
conto estrelas
será tarde?

o que me invade
não tem rastros
não tem pés
será arte?

ventos dançam
com a cortina
como cabelos
entre os dedos

um vinil um
pouco riscado
na vitrola entoa
um blues

não há lugar
para esses instantes

voar era meu desejo
outro lugar
outra dimensão

criar asas
desvestir o chão

Que tenho eu
que agora vivo
enfeitando versos com asas

  inquieto coração

 




Adri Lima






Arte by Eduard Robert Hugh

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Arranha céu de meu chão

                                                                                 
                                                     (Para Manoel de Barros )



Não sou poeta do pantanal
mas, aqui de meu quintal
aprendi a olhar insignificâncias

Meu cão e companheiro
sobrevoa ligeiro
querendo uma ave alcançar

sei que já é fim de tarde
pois já sentou-se
em uma antena
a ave pequena
antes de seu
ninho habitar

olho a tartaruga
que tenho em
um aquário
e nesse espaço
reduzido entra
meu imaginário
e tudo começa
a se modificar

gestos simples
que dão o recado
não para o homem
que corre apressado

mas para o poeta
que no meio
de suas tarefas diárias

sente o zunido da abelha
nas flores de um gerânio pendente

pressente os bichos
e vê pouca gente

e assim viaja
o delírio do verso
o aceno do verbo

Manoel, como em tua poesia
aprendi a resignificar
e usar as palavras para compor
meus silêncios

e brincar de poesia
quando estou a trabalhar

estou aprendendo arranhar
os dedos com outros olhares


 
  Adriane Lima





Arte by Ognian Kosmanov  

Flor da solidão II






Respirei fundo
ao ver do meu jasmim
flores caídas após a chuva

o que salva e o que derruba
seguem a mesma estrada


Vida é dor delicada

 




Adriane Lima







Imagem retirada da Net

No ar ...








Hoje notei que sou igual Brigite Bardot
um ar blasé de filme antigo
cenas assim me vem a cabeça
quando estou a perigo...


Adri Lima

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Efemeridade






 



Olha menina, tudo é provisório
de tua tristeza até tua sina

tudo é assim :


do rio que seca
da estrela que apaga
das mãos que tecem
ao ombro que acolhe

Tudo nasce,tudo morre.

Pássaros a voar
Passageiros do tempo
abrupto ar
nos engole sedento

O que nos falta é r(ar)efeito
ou lúcido defeito, de pensar
falta é leveza de ser
a previsão da vida, é tão pouca

Debruçada na janela
em que avistas
montanha,céu,lago, árvore fixa

Não te atentes ao efêmero
imortalidade,nem para as pedras

Tudo morre a temporalidade
sombras de tristeza tênue

No apego :
olhar a vida por retratos
e ter no âmago o que convém

Fluir na existência
justificados pela nossa passagem
alma lavada nos contém

 
Adriane Lima


Arte by Hugo Urlacher  

PicNic



 
Lembro da paz e dos sorrisos
toalha xadrez na grama
uma flor em meu vestido
manhãs,cãimbras,unhas
palavras nasalizadas
faziam a gente rir sem
ser preciso...

 
Adri Lima

( Imagem retirada da net ) 

Silêncio combinado



 
Finalmente entendi
nossa elegia
você fortalece meus medos
e eu enfeito sua melancolia


 


Adri Lima



( Imagem retirada da net )

Antítese





 



Vazo por reentrâncias livres
por onde há de escorrer
liquidos tênues
do amor e do sofrer


doce e sal
compõem o meu viver

Vaso, sobre a mesa
flores plásticas enfeitam
o amor e o sofrer

Minhas mãos os colhem
sem saber

Vida, por alegrias e tristezas
aproximações e distanciamentos

Ocos cansaços
percorrem o mistério
de uma coisa tão inútil
quanto a outra

O que minha alma ignora
é o vazar sem fim
Vazar por gotas
pedaços mastigados
de outrora

Destino de ninguém
Olhos, bocas despejam
liquidos de amor e de tristeza

Depósito do tempo e de estrelas
vividos entre amar e sofrer
vazar, o que não se pôde reter


 


Adri Lima

Olhos Antigos

 
 Eu não vi o tempo passar
intempérie a te maltratar
teus cabelos pratear
tua pele envelhecer
 
 
eu só tive olhos para
o que a alma queria ver

âmago sonhador
aprendiz e inocente

campos de sonhos
em mim,te fiz eternamente

tempo roubou
passado e o presente

estavas ali,relutante
corpo exposto
em horas exatas


o tempo de mim
nada roubara

o amor só via

o que sonhara

e a visão tardia
o futuro daria

era flor nascida orvalhada
depois da primavera

 




Adriane Lima 




( Poema para meu pai )
                                 






Arte by Mônica Maffei 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...