domingo, 28 de abril de 2013

Poema alheio






A fé infantil é leve
feito bolha de sabão
percorrendo mármores
da descrença adulta
são olhos epístulares
gárgulas que tudo vigiam ...

 


Adri Lima



Arte by Michael Parkes

Infinitude

 
 
Eu te amo
como se ama
um feto recém gerado
algo delicado
cravado em mim
ainda que intocável
assim sendo,
como vive-lo inteiro nessa vida

 
 
Adri Lima
 
 
Arte Bt Jack Vittriano 

Filosofia Poética VII

 
 
 
Às vezes, tudo que me veste é apenas o cansaço
Malemolência trazida de tantas maledicências
Larvas em frutos bom,sugam até o bagaço ...

 
 
Adri Lima
 
 
 
arte by Miroslav Yotov 

Jogo e destino

 
 
Entre o acaso e a sorte
nem me atrevo duvidar
a semente
simplesmente
encontrará o seu lugar
não há mistério
brasa vira fumaça
até embaixo de altar
 
 
Adriane Lima
 
 
 
Arte by Genny Zoe Casey 

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Poema Óbvio




 


Eis que me vejo

pagando contas
andando em círculos

dormindo em pé
pousando leve

eis que me conheço

olhando fundo
pensando alto
sentindo muito
secando o pranto

eis que me tenho

segurando o mundo
perguntando para quê
seguindo para onde
vivendo e morrendo

em plena tela fria
presente todo dia
sem tempo, sem chão

apenas os dedos
em toques sutis
e olhos febris

esses já conhecem
toda maquiagem

entre a doçura e a
infelicidade
de se ganhar asas

sigo dançando
e observando

como são lindos os rouxinóis
quando ainda são crianças...

 



Adriane  Lima





arte by Maria Kiriakov

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Foto poema I







Atemporal



Nós dois antigos e jovens
somos novos e adultos
nessa sintonia paradoxal
estamos perdidos
sendo que seria tão fácil
sentir e dizer:

vem, vamos seguir de mãos dadas 
esse amor atemporal 


Adriane Lima 



Arte by  Willem Aenrhats

Vazio amoroso


Nosso amor de cinema
não passou de uma cena
distância e silêncio
em longa metragem







Adriane Lima 






Arte by Leonid Afremov

Anseios







Perdi-me de ti, entre olhares
é sábio que repouso
entre versos e esperas
 
eu pousei aqui e ali
debrucei-me em teu peito
 
de onde despenquei meu corpo
existindo em tuas quimeras

 

 
Adri Lima  







arte by Steve Hanks 

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Dupla face do medo





Aprenda, se cair
se reconstrua
seja tua
Seja feita
dessa vontade
seja o alarde
não a amargura ...



Adri Lima




Arte by Malcon Liepke 

Poema Verdadeiro





Perdão
Amor
Zelo

 

Tudo isso unindo palavras que comporiam
um belo poema
e de olhos fechados o poeta o faria para
enxergar o mundo interno.
Abraçar palavras e metáforas
é sua grande brincadeira,
mas o poeta quer a paz verdadeira.
Não é pelo amor à poesia que ele
descreve a palavra PAZ...
Ele poderia rabiscá-la em muros ,
em portas de banheiros, em cartazes mal feitos,
em faixas espelhadas para mostrar-se contrário
poeta é anarquista por essência
gosta quando semi-analfabetos de afetos
comentam seus escritos.
Sim, aí surge a Paz interna do poeta
quando ele dita com satisfação
que aquele que o lê é tão poeta quanto ele.
Eis o mundo dos poetas
de almas desarmadas
penas em punho e palavras livres...
Pela simples junção de :
 

Perdão
Amor
Zelo

 



Adriane  Lima






arte by Kate Poweer 

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Crônica : Novos Tempos de Glórias





"Estão perdendo a viagem aqueles que não sabem de onde vieram nem tentam descobrir.
Que não sabem para onde ir e nem tentam encontrar um caminho.
Aqueles para quem a televisão pode tranqüilamente substituir as emoções."
Martha Medeiros
 
 

 
 
A vida não anda fácil para ninguém.
E não digo por questões financeiras,digo por questões de se viver em sociedade.
Acredito que a humanidade entrou no labririnto do Minotauro e se perdeu por lá.
O novelo anda difícil de ser puxado.
Não há um ínício para se entender onde foi que nos perdemos.
Pessoas vivendo em condições sub-humanas,guerras descenessárias e até de egos também.
Não sei se ja havia parado para pensar o quanto a situação está caótica, mas, me dei conta essa noite ao ver um telejornal:pais matam filhos,filhos matam mãe, policiais matam jovens sem ao menos pedirem documentos, jovens internos em instituições ao invés de terem um programa que os recuperem,só pioram, lá eles se tornam mais desumanos, metam, se rebelam, quebram objetos que depois cabe a uma sociedade pagar.
Outros tantos jovens vão a festas só para beberem quantidades absurdas,se drogarem, ou seja o vazio está tomando conta da humanidade.
Ouvi uma frase que descreve isso :os jovens de hoje tem a cabeça vazia e o copo cheio.
É verdade,não que no meu tempo de juventude não bebêssemos mas não era para esses fins:encontra alguém,nem que seja só para "ficar".
Hoje basta ligar uma TV e termos a erotização e banalização das mulheres depois que bebem...
Associam bebida a sexo, o que também é apenas uma rótulo errôneo do consumismo desenfreado das marcas de bebidas que precisam desse apelo!!! Mesmo através de piadas: beba e veja tudo mais bonito!!!
Ai me pergunto: será??
A realidade é que estamos em um momento onde todos estão em buscas, sejam elas :espirituais ou pessoais.
Nunca se ouviu tanto falar em depressão, no vazio existencial.
Nunca a indústria farmacológica vendeu tantos ansiolíticos, anti-depressivos,nunca se falou em rodas de amigos palavras tipo: Benzodiazepínicos,fluoxetinas e por ai vai...
Mas, li outro dia que já haviam casos relatados até na Biblia ja que essa é o livro mais antigo,não estamos lidando com novidades.
Mas, estamos lidando com a dificuldade de sabermos de verdade o que se busca.
Todos temos dias ruins, temos tristezas,mas onde nos agarramos é que faz a diferença.
Claro, que muitos já tem pré-disposição a serem ainda mais tristes,negativos,mas o que quero dizer é que o vazio da vida está levando uma grande maioria a fazerem escolhas erradas.
Claro que nos anos noventa por exemplo médicos,advogados,engenheiros,dentistas,profissões que alavancam uma sociedade se formavam e já tinham emprego,já tinham condições de trabalharem e se estruturarem em poucos anos.
Hoje os jovens saem de uma faculdade a disputa de mercado é tão grande,em tantas profissões que ele se vê perdido.
Nessa hora acho que entram os apelos da nova sociedade:pais separados que construiram certo poder econômico deixam nas mãos desses jovens pensões altissimas e ai,como lidar com o que veio fácil? Muitos caem nessa de achar que nunca o dinheiro acabará e frequentam festas caras,só usam roupas de marca,trocam de celulares e iphones a cada mês, sentem-se o centro da festa e me vem a cabeça: a essência,onde fica??
São esses jovens vazios que tenho visto por ai, nunca leram boas literaturas, poucos são os que ouvem uma boa música,a sociedade de consumo é o alvo.
O fútil e útil da hora, tenho o que o outro deseja ,portanto sou feliz e isso está gerando a tal luta de egos e de vazios existenciais.
Amar, então..nem é verbo intransitivo!!!!
É um sonho também de consumo,amores fúteis,passageiros,sem envolvimento ou sofrimento.
Afinal, quem quer sofrer se a entrega pode ser diferente:você não me ama aqui, já tenho outra ali e assim vai...a fila anda ou melhor como ja mudaram a frase:voa !!!
E voam também as verdadeiras razões de buscas espirituais, ter religião para a maioria dos jovens é ofensa, ser ateu é o que tá na onda!!!
Mesmo que nas horas de desespero a primeira frase que vem a boca é :Aih meu Deus, que saco!!!!!!!
Jovens hoje tem sorriso plásticos, ficam fazendo biquinhos para seus I-Phones, e postam isso em redes sociais,felicidade de verdade hoje em dia é isso!!!
Que tristeza, não os vejo terem emoções verdadeiras,sentirem a dor de perder algo precioso, imagine....ah,isso é coisa de gente velha.
Então pergunto: para onde caminha a humanidade?
Não saberia dizer,mas uma certeza eu tenho,estão indo por caminhos cheio de erros e sem espectativas de verem a "luz do fim do túnel", o que mais me amedronta.
 

"A vida é bela e o paraíso um comprimido..."
Letra de uma música que reflete bem isso!!
E quando algo assim acontece ,só nos resta lamentar e sofrer por eles !!!


 
Adri Lima  

 



arte by Ricardo Celma 

Dores de amores

 
 
Meu amor
anestesia igual morfina
a dor passa até por cima
de minha negação em viver
seu amor
ópio embalado a vácuo
amor que finda
em meu coração de menina

 
 
 
Adriane  Lima
 
 
 
 
 
 
Arte by Sophie Hill

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Asas Noturnas

 
 
Corpo no espelho
quanto mais eu penso
menos sei o que vivi

mesmo podendo sonhar
ainda não sei se já cumpri
para o que nasci

no destino
clamei por anjos
me consumi

vi abismos
puros de mistério
em um corpo a vagar
na luz azul

definitivamente não me cabe
ares de negação
ao que se predestina

anjo,mulher ou sina
asas apropriadas
para uma alma livre

no espelho onde me toco
é mais fácil voar
do que cair

estranheza em palavras
que jamais usei
é o óbvio, é o sagrado

atrasos não cabem em horas
onde a mão iluminada
nos afaga

na solidão da madrugada
apagar a luz
é a saída

acolher o ardor
da alvorada
ao se olhar novamente no espelho

entender que sou melhor
quando a vida em mim
se torna frágil

 
 
Adriane  Lima
 
arte by  Miroslav Yotov
 
 
 

domingo, 14 de abril de 2013

Memória Rasa

 
 
A vida em estado de graça
brinca com o tempo,
faz pirraça

a vida ou eu dentro dela
brincando com as digitais
feito memória programada

tentando agarrar o que ficou
 na pele eternizada

a fome insatisfeita
era de ti
dias em vidas que marcaram
os sinais em minhas mãos

limpo, esfrego, deixo de molho
não deixo ser maior que a solidão

entre o voo e as horas
de um presente sem passado
há um deserto humano
em meus versos desgarrados
que procuram por você

internamente meu instinto grita
e minha saudade é específica:
tem nome e RG 

 
 
Adriane Lima
 
 
Arte by Eric Zenner 

sábado, 13 de abril de 2013

Contribuições em falsete

 
 
Vida em poça
rasa mina
ele em choque
eu divina

casca grossa
gente fina
ele errante
eu franzina

tudo soma
tudo rima
ele frágil
eu menina

tudo morre
tudo afina
ele míssil
eu angina

bate boca
nossa sina
ele choque
eu morfina

carne fraca
fútil clima
ele padre
eu batina

alma sábia
tão divina
ele santo
eu ladina
 
 
Adri Lima
 
 
 
arte by  Valentin Russin



Sensação Intima

 
 
Desejo de ser abraçada
não só o corpo
também os ossos
não só os ossos
também as cinzas
não só as cinzas
também a alma
não só a alma
também a essência
que transpassa,fica
resplandece e entoa :
desejo de
sejo
(...) ejo,ejo,ejo ...

 
 
Adriane  Lima
 
 
 
arte by Alexey Stelee

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Princípio básico



 
A parede do quarto : bege
o chão do quarto : bege
a cortina do quarto : bege

-era tudo tão clean
ele em brasas e eu : nada afins
 
 
 
Adri Lima
 
 
Arte by Kiera Mallone 

Poema que não alimenta a alma

 
 
Andava tão feliz
pássaro livre
despido de vestes

de repente aparece você
meu algoz, dando palpite

me pondo grades
me dando alpiste ...

 
 
Adriane Lima
 
 
Imagem Dita von Teese

Crônica : Novos Tempos Surreais

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Fragilidades





Enquanto passo
enquanto penso
não demore

tudo é tempo
tudo é pencil
me devore

 


Adriane Lima


Arte By  Jon Paul

Poema Vazio




 

Nunca sei ao certo
o real movimento
se é recuo ou volta
esse eterno tormento

fico atada
aos velhos detalhes
nunca estabelecidos

nem sei se vou ou se fico
do que nem podia ter sido

as imagens que passam
os silêncios que elevam
as verdades compostas
muitas vezes trazidas
pela poeira do tempo

escrevo no vidro da sala
sob a embaçada porta
versos que eram tão meus
verdades que foram mortas

histórias que eram compostas
palavras que escoavam
sem ter quem as contivesse

-doce loucura em vão

talvez isso explique o vazio
da solidão e do frio
daqueles que não se prendem
em rótulos


 

Adriane Lima


Imagem retirada da net 


Inquisição





Eu esfinge
esquecida de perguntas
eu um rio
das mágoas
que desaguam em mim

oceânicas buscas
em sal e levezas
que me visitam
nesse desaguar
entre eu e você

perguntar para quê ???

 

Adri Lima



Arte by Daniel Bilodeau 

Repouso em versos


 

Banho enternecido
águas acolhidas
só o vazio é maior
que a ausência sentida

tão afastado te penso
e peso os olhos em penas
maciez do linho em cena
enlaçam meu abandono

ritualizo a madrugada
entre horas iguais e diárias
contornando o espaço e o tempo

feito de esperas e do amor
que nos envolveu

me repenso em verdades
desdobrando o infinito
desses momentos que me possuem

-a solidão é uma nova paisagem



 

Adriane  Lima 



Arte by David Bower
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...