sábado, 11 de julho de 2015

O último gole de Bourbon




Repito teu nome entre ruas
que não conheço
evidências líricas
de um coração avesso
 
falta coragem
para rasgar o céu
voltar a ser eu mesma
eloquente e viva
 
sair dessa mudez
que nenhuma palavra explica
gritar minhas verdades
no silêncio de tua pele
 
beber de tua boca
o que sequei no tempo
seguir tua rota, pois sei, a rua
 
 







Adriane Lima









Arte by Jack Vettriano 

Era uma vez uma alma



Dessa estrada conheço cada curva
cada esquina suja, que não se explica
ali adentro vestindo cuidados
que uso para não me deixar levar


na frieza me alimento desse gosto
 é como um soco
que certeiramente me acorda


Por um céu imaginário, transito
não esqueço meu norte
ou outro ponto visceral
para não dizer cardeal


Oriento-me por reminiscências
junto memórias como as crianças juntam
cheiros, cores, rostos familiares
...identificação absoluta


a dor chega a ser felicidade
feliz cidade, que me deixa comovida
com vida e me convida a andar embaixo de chuva


contida em sua garoa, sou a flor de algum poema
em meu olhos supero o espanto
sou a luz descrita por um poeta distante
sou meu buraco negro perdida em cada instante




Adriane Lima




Arte by Ala Svirindek

Ao abrir a noz da asa



O que faço aqui nessa vida
dizem que somos poeira
vinda das estrelas
compondo águas do mar


sou servil ao mundo
sigo as cores das flores
me fixo nas raízes das árvores
sou incompleta, dorida em esperas


perco e ganho o dia inteiro
relembro momentos
contemplo todo sentimento
de ser e de estar


caminho,sorrio nas ruas
olhando um céu de nuvens enfeitadas
sentada em um lugar espreito e
com a ponta dos dedos, sonorizo
minha ânsia de não saber explicar


poeira vinda das estrelas?
teimo em acreditar


pensei tanta coisa vendo a vida passar
através da janela do carro
meus olhos procuravam partículas
que pudessem de átomos em átomos
se interligar


um poema me atravessa o peito
me extrai o que retenho
no mais íntimo silêncio


vai ver que sim, sou sim
poeira que se desprendeu
de alguma estrela e em verbos
acreditou ser poeira de poesia




Adriane Lima





Arte by Yonel Diaz Galvez
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...