sábado, 30 de março de 2013

Namoro de gato

 
Dá um tempo
mais jeito
mais trato
me faz um carinho

...namoro de gato...

esse olhar intrigante
transparente e brilhante
corpo macio feito espuma

faz rolar traiçoeiro
um cheiro de vida
um olhar que fita
coração que palpita
sequência de gestos

nada é modesto
em nosso roçar
braços fortes
impressos numa figura de sonhos
e cantos ao se revelar

louca vontade, repletos desejos
de onde farejo o teu acalentar
felicidade invade
deixando a realidade
nos aproximar

vida que chega
e faz do beijo um silenciar

grito secreto, gemido soproso,
gostosa saliva a me desvendar
carinho pedido,segredo dividido
no universo de um lençol

feitos de carne e osso
silêncios e alvoroços
toques de perfeição

olhares trocados
medos fadados
jeito displicente
embocadura de gente
noite de entrega
repleta de namoro

...namoro de gato...



 




Adriane Lima

Voe leve


 
O que ganhamos nessa vida
não vale arriscar perder
não há negação maior
do que se ofender

-ao ser chamada de poetisa

não me incomodo ou cresço
sei que são carinhos e não rótulos
de algo que eu não mereço

ao ser chamada de mãe
acho o máximo e ao
falar dos filhos me envaideço

porque com a poesia seria diferente ?

se ela nasceu dentro de mim
e foi gestada,como uma
criança que fiz nascer
e dei até nome

se sou chamada de artista
por que brinco com as cores
é dessa arte de viver
que na verdade vem minha fome

sou livre para escolher
onde querer me rotular
poeta, mãe, artista

tudo só vem me engrandecer
pois,são palavras que compõem
a minha alma de mulher ...

 
 
Adri Lima
 
 
Arte by Mu ley

Nudez Poética

 
 
Há como não sentir nada diante da vida?
até em afetos nada mais me convenço
nada mais me acelera o coração

o simples fato de ouvir silêncios
deu-me a chance de saber-me estrondo

aqui dentro o cansaço puro
deu-me olhos de desassossego

finjo não perceber a grama crescendo
o ovo que se quebra no ninho
o jasmim que cai após exalar perfume

onde nada é superficial,
a vida segue e nada falha
só eu falhei diante da vida

capricho dos deuses em rebeldia
me deram doses extras de valentia
e depois me encheram de covardia

então não soube mais me convecer
de que tristezas podem ser esquecidas

sobrevivo a essa eterna insatisfação
de ter-me endurecido demais na dor
e desacreditado no poder do amor

oculta,permanecerei em livres anseios
entre o cansaço dos sonhos e aspirações

não almejo mais as revoadas de borboletas
nem que ninguém perceba que me dói a vida

um deserto que atravessei sozinha
jogando pérolas e me perdendo
pelos caminhos

Bendita seja essa transitoriedade
de não saber o que escrever em meu Epitáfio...




Adriane Lima
 
 
 
Arte by Renso Castaneda

sexta-feira, 29 de março de 2013

Ressucito-me


 
 
Posso dizer que estou afônica
nesse silêncio que me invade
harmonizo pensamentos dissonantes
buscando deuses puros e cristalinos
 
acordo em mim o que é seguro
lirios ofereço ao que renasce
a carne exposta em segundos
mostra meu lado mais fecundo
 
perdão eu peço ao que morre
amor eu sinto e me socorre
a paz me trouxe essa nobreza :
 
-cordeiros livres mesmo em pecados
se aquietam e nada anseiam
 
morro por mim e pelos outros
em seus silêncios escancarados
 

 
Adriane Lima
 
 
 
 
Arte by Renso Castaneda 

Diário IV - X






Egoísticamente me adorno
desamarrei devagar os últimos laços
como quem se despe, sem pressa
e se entrega ao amor verdadeiro


em meus ouvidos
teço palavras doces e de encantamento
salvo as preces e a companhia
é o instante onde escuto a eternidade


ao me doar
gerei amor 

...grávida de mim
enchi-me de zelo
 

guardei lá dentro
medos, amores
sonhos e nostalgia

o ontem e o além dos dias
 

as minhas fases
hoje feito a lua cheia

redondamente me dou voltas
habito-me por inteira


pela solidão me enamorei
ganhei tempo me querendo
libertando meus desejos
dissolvendo minhas fomes


-grávida não pode passar vontades
eis a vantagem,
me alimentei do melhor de mim

do outro espero que me veja assim :

parindo a vida liquida
nesse mergulho sem fim




Adriane Lima 



arte by Anna Zinkovsk

quarta-feira, 27 de março de 2013

Cores da idade

 
 
Os cabelos ganharam tintas
em desacordo com o tempo

lúxúria usando cores
em tons escancarados

-cores que não tem idade

a alma encarna
o corpo avisa

não me venham com julgamentos
vermelho sangro e não me retalho

em meu tormento já fiz brotar
cobras, peixes, flores
e poemas

e desse inferno já
retornei inteira e sem dilemas

 
 
Adri Lima
 
 
 
Arte by  Mandy Tsung

Filosofia Poética III






Hoje, tenho uma grande certeza
tudo está interno,
nada vem de fora nem de ninguém
nem a beleza, nem a tristeza
levantar a cabeça, respirar fundo
e seguir em frente.

Se tenho que tirar uma lição, fica esta:
o tempo só leva quem se deixa levar...

Adriane Lima



Arte by Alex Alemany 

Materna idade absoluta





Vida feita de fases
retas,tortas,ambíguas
dias feitos de silêncios
amores e ressentimentos
 

horas feitas de esperas
entre alegrias e lamentos
braços que tornaram-se asas
abrigos de rebentos
águas passadas e livres
além de palavras, o crescimento
vagarosamente te dei meus pés
e hoje me leva contigo
dentro de mim a sensação
de hemorragicamente estar cauterizada
não desejo nada
além de tuas mãos me amparando
na brevidade de um passeio
em companhia até a eternidade

 



Adriane Lima




Arte by Pooneh Oshidari 

A força que nos protege




Invólucro cerzido
a ouro e sedas
por mãos que já não sentem
o espetar de agulhas

sorte a sua
ser a melodia
sem ter emprestado
a tinta consanguínea
para desenhar notas

em fios esparsos
dessa tessitura :
vida
vida

música criada
para ser lembrada
por gerações

ouça e sinta-

a cada punhalada
a cada muro
que se ergue em nós

ouça meu canto :

não esgarçe o amor
nas dobras do tempo
não há arremates

ouça meu canto :

não mate o amor
coloque-o
no parapeito
da janela da alma

colha o tempo
com serenidade

regue-os com
minhas lágrimas
de assim desejar

entoe meu canto
só não mate o amor

não hoje,
que eu vim de tão longe


Adriane Lima





Arte by Fidel Garcia

segunda-feira, 25 de março de 2013

Enleio enlua

 
 
Repouso em ti
espelhos e metades

-finas,esparsas
tênues verdades

...
observo e sinto
o flutuar do tempo
não descanso
refugio o pensamento

na metade que procurei
estava inteira
guardei-me assim

folhas ao chão
e os pés na lua

outono vai me (en)levando aos poucos
abismos já não me cabem...

Adri Lima
 
 
 
 
 
Arte by Rafal Obinsk

Silêncio e ar

 
 
 
Silêncios outonais
sol sob nuvens
escondendo meus ais...


Adri Lima
 
 
 
 
Arte by Christofer Pumbleo

Outonal

A noite que trago
aqui dentro dilata-se
o outono
me anoitece


 



Adriane Lima



Arte by Duy Tuan

Filosofia poética V



Aceita uma flor, às sete e quarenta?
Aceita um elogio fora de hora ?

Se ele partiu de mim ,é porque foi de verdade.
Não costumo beber da mesma água de quem não comungo
ideias e ideais...

-No mais, guarde seus rancores e dores em linhas menos dramáticas.
Assim,ficará menos evidente esse teu desejo de ser idolatrada .
 

-Aceite : flor e elogios fazem parte do pacote !!!!
Aproveita e deixa tocar na "vitrolinha" um blues...




Adri Lima

Tecido de palavras


 
 
 
Outono de folhas caidas
vermelhas como a cor de teus cabelos
rubra também são as palavras
que vestiram teus disfarces

Caem por terra conceitos
...
cabelos,folhas e o tempo

é na teia que se embaraçam
tudo que poderia existir
desses traços

amortecido ficou o amor
tecido de fios esparços


Adri Lima

terça-feira, 19 de março de 2013

Ao cansaço das coisas




Biografo-me em cada letra que escrevo
cada poema se parece comigo
vou despindo aos poucos
nódoas que me fizeram o tempo.

e de vez em quando
um verso perfeito que alguém se vê nele
outros,que ninguém le
combustível para vertigens ou voos

gotas de sal que sei arrancar facilmente
misturadas ao sangue que contrai e modifica
a minha respiração
tensiono,mas não intensiono
que isso modifique algo
muito menos ninguém

nada é mais repousante do que saber-me
verbo, sujeito e predicado
e todas equações que aprendi
se multiplicam a olhos nus

minhas asas estão nas pontas
de cada dedo
adiciono cada gesto de crescimento
subtraio cada olhar de rejeição

As asas me deixam leve
não sei as dos anjos
mas as minhas eu desconfio
que mesmo podadas
voltarão sempre nascer

 


Adri Lima





Arte by Tomasz Alen Kopera

Intersecções poéticas






O céu imenso que tudo sabia
onde fui apenas percepção
de pensamento e nostalgia

falta faz o que não morre
o que nos socorre do abismo
e da lentidão dos dias

o tempo ensina
ganhar ou perder faz parte
da vontade de acertar

e salvando filosofias
continuarei tecendo
os fios que interligam
alma e coração

mesmo que tudo seja desafiador
(des) afio garras e sigo
a maior coragem é buscar a felicidade

-nessas horas de descuido

o ócio é a síntese dos dias
outono invadindo a casa
verticalizando horizontes
onde, tudo chega

sem muitas explicações da vida ...

Adri Lima

quinta-feira, 14 de março de 2013

Sonhadora



Minh'alma menina
sonha clichês
beijos de novela
anúncios de tv
por alguns instantes
esse romantismo barato
é o que me dá prazer

 



Adri Lima 



Arte by Elvira Pyrkova

Dia " D " poesia


 
Hoje é dia da poesia
mas ela não veio me visitar
talvez esteja com outros projetos
e outros poetas para acalentar

Não quis ouvir meus desenganos
nem o que tenho para lhe contar
o branco do papel hoje é companheiro

-tudo parace viver a efemeridade
 não há letras a me habitar
estou vivendo,olhando ao redor
e sentindo o peso das palavras

há poemas inteiros
e poetas incompletos

há que se buscar a poesia
nas mal traçadas línguas?
e que fiquem a míngua então
aqueles que não ousarem atravessar
os sentimentos

a palavra não precisa fazer sentido
mas o poeta sim
-desaguar não é mais necessário

poesia, estou vivendo
se quiser,volte mais tarde...


Adri Lima
 
 
arte by Elena Illyna

quarta-feira, 13 de março de 2013

Amor antigo

 
 
 
Meu amor antigo
tem cheiro adocicado
de infância
fruta perfumada
de lembranças e
sem pressa de viver

Percebo que hoje,
o novo e antigo
se uniram,e desde então,
sofro por antecipação
sentindo o sabor da saudade
e cheiro de jasmim limão

meu amor antigo
vive nessa efêmera presença
onde me agarro na ânsia
dessa lenta convivência
entre céu e mar

meu amor antigo
abriu as portas
de um mundo novo
chamado felicidade

meu amor antigo
trouxe a distância
e seus significados

vou transpondo os dias
e aprendendo
com quantas esperas
vive o amor em mim

 
 
Adriane Lima

Partes em partes

 
 
 
Um quarto da lua formou o sonho
faltava a chave para as outras partes
Um quarto da casa formou o verso
a chave solta no infinito
encontrou a mão certa para aluAr,em cheio ...
 
 
 
Adri Lima
 
 
 
 
 
Arte by Todd Bonita  

 

terça-feira, 12 de março de 2013

Doce veneno





Mulheres gostam de bombons
mas na certa , não gostam
de homens que perguntam
se foi bom ...

 

Adri Lima

sexta-feira, 8 de março de 2013

Eu,heroína...?



Hoje eu queria ser a mulher maravilha
olhar no espelho meu corpo sarado
a força bruta, o rosto sem rugas
lembrar que recebi glórias
prendi bandidos
fui a desforra
e ao lado da liga da justiça
trabalhei para um mundo melhor
Será esse de verdade o sonho de uma mulher?
ser lembrada como heroína
não ter o rosto marcado pelo tempo
nem explosões hormonais todo mês.
Não ter que levantar e fazer faxina
não ter que se preocupar se as
contas estão pagas
se o tanque tá cheio
se a gasolina aumentou
se a dispensa tá vazia
se os filhos estão bem
Heroína que se preze é livre
voar é sua mais simples autonomia
é nunca sentir-se frágil
com as bobagens do dia a dia
é ter alegria, por saber de tudo
através de sua visão de raio-X
já vi que esse papel não me cabe
mas, tenho lá as certezas
do que conquistei,
do que perdi,do que ganhei
não me importam as rugas
e sim as lutas que travei
interna e externamente

Sou mulher : que maravilha
Sou maravilha, conforme minhas vontades de mulher

 


Adriane  Lima




( Imagem  feita por montagem 
no site face in Hole )

quinta-feira, 7 de março de 2013

Unicidade





 

Entre o céu cinza
encontro minha tristeza alegre
não há motivos para te-la
mas ela habita em mim

hospedeira das horas
em solidão e silêncio
entre as tardes de março

uma saudade
um cansaço

onde sinto o peso da espera
e banho-me em ternura
ao olhar o pássaro distraído
esticando-se em uma antena

parece não se incomodar
com a chuva, segue
seu destino de pássaro livre

uma saudade
um cansaço

não me incomodo
com a chuva que cai
pois meu destino
é ver o céu lilás ao cair da tarde...


Adriane  Lima







Imagem retirada da net 

A meia lua




Desenhei em um papel de pão
estrelinhas caindo ao chão
mas a lua que era meia
foi mais rápida e sorrateira
pegou o lápis de minha mão

iluminou-se ...


Adriane  Lima







Imagem retirada da net 

Mar menina




Tenho lembranças
de minha criança
brincando a beira mar
pegando conchas
criando castelos de areia
ouvindo o canto da sereia
pisando em ondas
revendo marés
mistérios de uma idade
cresci em uma cidade
distante do mar
já era sonho de poeta
que trazia o mar nos olhos ...

 


Adri Lima


Arte by Gordana Curgus 

Em conchas,sonho




Recolho-me em concha
diante ao imenso mar
raro como as pérolas
é o instante de amar

 
 
 
 
Adriane Lima
 
 
 
 

Sobre distâncias






Dona das rosas vermelhas
o mundo gira aos teus pés
a fatia da vida que sangrou
verti em felicidade
alheia e de longe te entrego
minha saudade ...




Adri Lima




Arte Pate Matim 

Aos olhos do amor




Intensidade em pele
em alma e em dor
assim é o amor

escrito em delicadezas
acima dos olhos
dos que teimam em não ver

pintura sutil,em finas letras
arremates de desejo
encoberto por vontades

assim é o amor

para sentir-lo
é preciso não ter medo
que um dia ele escorra
feito maquiagem

assim é o meu amor

eterno em nós
feito tatuagem ...



Adriane  Lima




Imagem retirada da net 

Intenso movimento



Atroz vida
tem palavra que não possuo
mas quem dera fosse minha
-atrevida
essa palavra dissolvida ...

 

Adri Lima




Arte by Gordana Curgus 

Diário III-X


 

 
Cristalizo meus dias
por pura ironia
gostaria de vê-los voar

emoção negociada
em poesia plantada

em peito de quem feneceu
no vício dos pontos finais

arquear o corpo
embora disposto

catalisando a negação

abaixo a guarda
que o anjo caído
conhece um deus alegre

sendo mulher desafio
as redomas, as mordaças

me fixo em chão e crio asas
em solos de adivinhação

mulher aprende na marra
fazendo pirraça
e o resto segue, sendo evolução
 






Adriane Lima





Imagem by Andrew Lucas 

Constatação





Fui andarilha errante
que mil voltas dei ao mundo
hoje por encanto profundo
cada vez mais amante
de tuas planícies...



Adri Lima 




Arte by Michael & Inessa Garmach

terça-feira, 5 de março de 2013

Entre astros e estrelas




Para Saturno deixei a fantasia
nossos anéis não mais cabiam
desfiz os elos, fiquei apenas
com um pedaço da lua e a poesia ...

 


Adri Lima


Arte By Pate Martim 

Filosofia Poética II



Quando o homem usa sua inteligência e sensibilidade
para construir um mundo melhor, todo universo ao seu redor também melhora.
As vibrações de energia serão de amor e de paz, pense nisso não apenas em seu micro cosmos e sim por cada grão de vida desse planeta que habitamos.
As estradas foram construídas para levar o homem além de seu lugar de origem, sair de dentro de si mesmo em direção ao outro  é um longo percurso...

Faça-o com amor !!!!










Adriane  Lima

Entre rosas




Uma rosa na mão
que ainda em botão
se faz sentido
as desordens da vida
aos pesos do dia
aos amores secretos
imprecisa rosa
recortada em pétalas
esperando o toque
do desabrochar
Mulher em pétalas
esperando a rosa
cálida,
ávida de desejos
no calor dos beijos
aberta ao toque
nos seios,no ventre
em pétalas
de mulher e rosa
á espera de motivos
 


Adriane Lima



** Inpirado no poema de meu amigo poeta 
      Carlos Moraes.




INSPIRAÇÃO

uma rosa, meu amor
uma rosa!
é preciso uma rosa
para dar sentido
ao olhar perdido
ao tempo escondido
à desordem da casa,
uma rosa apenas...

uma rosa e seu motivo,
a mulher!

                                  



Arte by Alexei Antonov  

sábado, 2 de março de 2013

Parto




Como toda menina nasci vestida
e fui pela vida abandonando meus disfarces

cada veste deixada pelo caminho
foi o resultado de um parto

e tantas vezes parti
perdi a conta de quantas renasci
e duas vezes pari

hoje viver é ter o sal do mar na pele
e sentir o arrepio que a orla me traz

em teu peito durmo meus sonhos
em teus braços orlo quem somos

serenamente me transformo em lua
em fases vivo a me encontrar

entre união de versos
e universos, nua
aprendi a caminhar


  Adriane Lima e Orlando Bona Filho



Arte by Denis Nunez Rodriguez

Sem fantasias

 

Em mim a lua
veste mapas
hemisférios escondidos
só no amor não há mistérios
astrolábios conhecidos


 


Adri Lima 


Arte by  Maja Vuckovic

sexta-feira, 1 de março de 2013

Maresia



 



Eu não me esqueci de teu nome
desde a primeira vez que ouvi
ele me lembrava mar e não flor
tinha perfume de vento
e colou em meu pensamento
mas hoje te chamo Amor
por toda extensão que (a)mar
provoca em mim ...

 


Adriane  Lima 




Imagem : Andrew Lucas 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...