segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Prosaica flor

 
 
A flor de mim
na pele exposta
uma dor de carne
já decomposta
 
ao engolir seco
 furtivas palavras
que se debatem e descem
 
eu fiz brotar meu jardim
sob uma ácida chuva
de olhos superficiais
 
jamais adentraram raízes
enquanto sugavam perfumes
 
refiz cicatrizes
nem tinha ideia
que me morderiam
 
 
 
 
 
 
Adriane Lima
 
 
 
 
 
 
 
Arte by Katrin Kuhn

Ao pé da letra




Eu te falei meu bem
eu mudo de planos
todos os dias
 
eu acordo uma flor de candura
faço poemas de amor
expresso a minha ternura
 
hoje acordei as avessas
nem pensei em amor
nem em querer
que você apareça
 
não são os enganos
nem frias minhas palavras
foram suas atitudes
 
pode até ser
que daqui alguns dias
tudo mude
 
vai que acorde ainda dizendo
que te amo, mas nesses últimos dias
te juro, não mais me orgulho
de meus erros Kafkanianos







Adriane Lima








Arte by  Kwatç Prinauçtak

Artifícios




Esqueci a descrença
o dissabor do jogo
que meu peito guardou

Disse a ele, se alegre
um novo amor
não irá fazer doer
como aquele que passou





Adriane Lima






Arte by  Delphine Leborgious
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...