domingo, 30 de setembro de 2012

Doses extras ...





Desejo e amor
Se unem , se repelem
em doses de ilusão
o desejo pede emoção
o amor proteção ...



Adri Lima
 
 
 
 
 
 
Arte by Rodrigo Dauer 

Espelhos narcísicos

 
 
 
 
 
 
 
Ás vezes somos Narciso 
feito flor especular
espelho feito de planos
onde fomos nos mirar
refletimos os enganos
 
doce flor do acreditar ...



Adri Lima
 
 

Qual te pesa ???










O que nos vale mais?
amor ou paz...
pensa-te pássaro e não gaiola
pensa-me barco e não cais ...


Adri Lima

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Amor Insano





Loucura explicar o que sinto
sendo louca eu
e meu instinto

amo sem medo
e com medo amo

há um espírito livre
e outro preso ao rebanho

para um deles eu confesso,
do outro apanho

culpa sólida
em peito trava

se desmancha
em liquidas madrugadas

que escorrem pelos ralos
de uns verbos sutis

não os conjugo
os pretéritos
se perdem

harém
além
do bem e do mar

nó do porre
e da ressaca

que tomei das palavras
que tentei buscar em ti

a medida que
trans-passo :

escapa-me

a mais pura trama
desse drama é existir

é não caber nos limites
que me foram destinados

quanto mais sou
menos sou

repenso se é verdade o que vivi
o que era certo ou engano
desde o dia em que
te olhei,
me conheci


 

Adriane Lima




Arte by Anna Razumovskaya

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Pacto com a Lua










Engravido as palavras
formas redondas e uterinas
de lá saem os poemas

minha salvação e sina...



Adri Lima
 
 
 
 
 
 
arte by Patrice Murciano 

Retalhos da vida




Viver é estar por um fio
Borde tua existência
mais amor ,mais essência

o resto vem pelas beiradas...


 


Adri Lima





arte by  Bryne Wollner

Nua poesia







E quando chega o frio alheio
sobre minha nua poesia
queimo palavras

fogueira onde me aqueço ...


Adri Lima







arte by Carrie Vielle

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Crônica : E onde andará tua criança interior?





"A imagem da criança representa a mais poderosa e inelutável ânsia em cada ser humano, ou seja, a ânsia de se realizar a si próprio".
                      Carl Gustav Jung




Como estamos nos aproximando do dia das crianças, pensei em questionar um pouco a nós leitores, adultos, perguntando como anda nossa criança interior?
Aquela que todos temos e precisamos cuidar, não abandonar, não invalidar suas vontades e acima de tudo reconhecer que ela representa nosso melhor lado.
Aquela parte de nós onde estão inseridos o amor próprio, a sensibilidade, o olhar intuitivo , os desejos imaginativos, a criatividade, a espontaneidade e inúmeras qualidades que nos impulsionam para a vida adulta saudável.
A criança interior é o seu verdadeiro eu, o que corresponde à sua verdadeira essência, ao seu estado interno natural e harmonioso. Frequentemente, os desequilíbrios sentidos na idade adulta, as dificuldades de comportamento, as ações auto-destrutivas e de medo são fruto da "violência" emocional e psíquica a que estivemos sujeitos em crianças.
A criança que fomos também não soube compreender, racionalizar comportamentos que recaíram sobre si por parte dos pais e outros adultos, muitas vezes também eles ditados pelo medo, insegurança e dificuldades em enfrentar a vida, e interiorizou-os sob a forma de traumas alojados no coração e no corpo.

A criança nunca morre em quem quer que seja. Ela não morre quando você cresce; a criança permanece. Tudo o que você foi, ainda está aí dentro. E assim permanecerá até seu último suspiro.Mas a sociedade sempre tem medo de pessoas não-sérias.
Pessoas não-sérias não terão ambição por dinheiro ou por poder político. Elas irão curtir mais a existência. Mas, curtir a existência não irá lhe trazer prestígio, não o tornará poderoso, não irá satisfazer o seu ego, e todo o mundo do homem gira ao redor da idéia do ego.
O espírito brincalhão é contra o seu ego. Você pode experimentar e ver. Simplesmente brinque com crianças e você perceberá que seu ego estará desaparecendo e que você estará se tornando uma criança novamente. Isto é verdadeiro não apenas para você. Isto é verdadeiro para qualquer um.(Osho)



Sem querer levar esse texto para um lado da psicologia, vamos seguir nos perguntando como estou tratando dela nos dias atuais?
Tenho visto adultos super infantilizados nas redes sociais, brigando feito crianças e brincando como se tivessem em mãos brinquedos fantásticos para interagir, como antigamente fazíamos jogando bolas de gude, queimada, o bom futebol e "beats "no meio da rua!
Posso dizer com uma boa dose de convicção que a maioria de meus amigos virtuais têm a mesma idade que eu, logo viveram  e brincaram de tudo aquilo que havia na época.
Portanto, só posso dizer que hoje percebo alguns tão imaturos que acho que não brincaram o suficiente com a criança interior. Outros pedem tantas desculpas e só vivem de reclamações que posso até acreditar que esses  levaram só broncas e repreensões quando eram crianças.
A criança interior abandonada torna-nos adultos com medo de errar, sempre à procura de aprovação, reconhecimento, enfim, sempre à procura de amor.
Para sermos de novo um ser humano completo, a criança interior deve ser resgatada, abraçada e amada.
Criança Interior é uma poderosa presença. Vive no centro do nosso Ser.
Não acho que somente deva levar em conta situações desse tipo no mundo virtual, mas tenho visto o egoísmo imperando entre pessoas que trabalham juntas, um ego totalizando o que há de pior, pessoas querendo sempre aparecer, chamar atenção de forma negativa, e com isso criando mais inimigos do que amigos.
Não seria justo aqui julgar que em minha época tivemos uma infância melhor, com brincadeiras mais saudáveis, éramos mais livres, tínhamos mais confiança nas pessoas, inclusive nos adultos que nos cercavam.
Hoje em dia, ninguém deixa mais um filho sozinho sair nas ruas para ir na casa do amigo, não podemos mais confiar nem em muitos "cuidadores", já que assistimos crueldades feitas em crianças, maldades dentro, muitas vezes, da nossa própria casa.
Mas, ao que atribuir tamanha solidão nos dias de hoje? Melhor aceitarmos que as crianças brinquem frente ao video game, a uma TV, já que poucos tem o previlégio de terem em casa quintais, com amoreiras, jabuticabeiras como nós tivemos ,pipas para empinar e enroscar em fios, matar aulas para nadar em um rio, correr pelos trilhos abandonados de uma ferrovia...
Sim, eu fiz tudo isso e garanto que muitos de vocês também fizeram.
Mas como comparar  a infância que mesmo assim muitos não viveram, e como alimentar as novas crianças que estão crescendo a não ser de frutos bons e internos.
Sabemos que o homem é produto do meio, e sendo assim é preciso buscarmos o que há de melhor dentro de cada um de nós.
Quando nos encontramos com a nossa verdadeira essência, descobrimos dentro de nós um ser merecedor de todo o amor do mundo. Levando para casa e para a vida uma realização interna que será facilitadora em nosso trabalho, em nossos relacionamentos pessoais e interpessoais .
E só estaremos prontos quando olharmos com clareza nossa criança interior, reconhecendo suas queixas, suas dores, suas alegrias e também suas reais necessidades.
Todos nós temos essa criança interior.
E é preciso amá-la, cuidá-la e alimentá-la;  e é maravilhoso quando conseguimos entrar em contato com ela e isso não tem nada agora com o lado externo da vida, e sim com o nosso interior, quando nos oferecemos amor próprio, quando nos escutamos.

Hoje proponho de verdade um resgate e um abraço em sua criança interior!

E deixo aqui uma frase que me conforta sempre:

O importante não é aquilo que fazem de nós, mas o que nós mesmos fazemos do que os outros fizeram de nós.

Jean Paul Sartre





Adri Lima






imagem by Alex Alemany

terça-feira, 25 de setembro de 2012

A dança cíclica da vida ...



O ciclo da vida é uma dança
em pleno verão saimos leves
no outono rodopiamos folhas
longo inverno, ensaiamos passos
primavera bailamos cores
seguimos em ritmo de mudanças


... (re)penso  (re)construções ...

Adri Lima
 









arte by Mark A.

Uma ode a Zeus

 
 
O aconchego do amor
é feito de súbita passagem


delicadeza e brutalidade
que se conjugam irmanamente

alimento e ancoragem
onde se derramam
verbos hemorrágicos

Corpo ...

Lugar calmo e celu(lar )
repouso da memória
sensorial

liquido que flui
exprimindo a existência
do nada

composições de uterinas vozes
regidas por espaços abertos
e instintos fechados
tocando em qualquer parte
afinados dedos em devoção

não há retorno maior
e loucura cabível
a carne úmida vibra
em tons, semi tons

é o cio
o arrepio
do encaixe
pele tocando
outra pele

somos fetos confortáveis
circulando em plena magia
lentamente por segundos
conduzidos a outro mundo

Somos amparados
entre braços e pernas
e jorramos paz
em lençóis de fogo

Música do silêncio
interno de cada um 






Adriane Lima





Imagem retirada da net

Meu susto




Minha inocência
se firmava em nuvens
amor, peixe escorregadio
nem gaiolas, nem redes

de meus braços partiu







Adriane Lima







Arte by Alex Alemany

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Viva e deixe-me viver...





 

Mar de recordações
daquilo que fui um dia

a mulher de hoje no espelho
é líquida e reflexiva

espremo a existência
onde me guardo...

baús , armários e caixas
só eles retêm de mim
o que é passado

aquilo que não me serve
aquilo que não me cabe

jogo fora, sem explicação

em muito anos me perdi
em plena flutuação

e se hoje me descompasso
pouco importa a ocasião

nem é autobiográfico
o que sai de minhas mãos

é poesia, é música , é arte
tudo se desprende sem medidas

hoje nada retenho
só penso em dar sentido
aquilo que chamo : vida


 
Adriane Lima
Imagem retirada da net  

Convite a realidade

 
 
 
 
Mas eu sou assim mesmo
sempre do contra
sou cheia de curvas
assim como a vida
 
linha reta não me cabe
nem no corpo
muito menos
nesse espírito
 
que já nasceu livre
de métricas saídas ...
 
meu desejo é conjugado
e quem pensar que é pecado
escolha o verbo,e se cuide ...



Adri Lima



arte by  Anick Bouvattier
 

Desesperança




O amor foi jogo
em mar revolto
e nós meras peças

arrebatados por sentimentos
cegamos ardências

 






Adriane Lima






Arte by Alex Alemany

Aguardando asas





Minha única vontade de ser pássaro
era para trazer nas asas o amor
chama viva,acolhendo casa
com a alma lavada e vazia de memória ...

 

Adri Lima





arte by Samuel W. Yeates 

domingo, 23 de setembro de 2012

Sábio mergulho



Sábio homem de lata
fechou o coração na hora exata
escafandrista
em dor mergulhou







Adriane Lima 












Arte by  Adrian Borda

Leveza





É tão fácil:
do chão para teus braços
do teus braços para o infinito
basta para aplacar sentidos








Adriane Lima






Arte by  Zao Chun

Ardência



Meu caderno
de poemas
me salva
do frio alheio
 poesia
é a fogueira
onde me aqueço ...


Adri Lima 






Arte by Paul Kelley

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Voando em telas ...






Meu sonho era pintar telas
colorir o branco que eu vejo

paredes,madeira,tela ou papel

dar vida
dar alegria
tingir e pincelar
para ter um pouco mais de paz

mas, hoje vejo
que pintar com perfeição
não fui capaz

vivia para poesia
muito mais que para Dali

então eu percebi
que a cor do amor
literalmente
me enfeitiçou

virei artista mesmo sem saber
estava rosa e azul como um Monet

esse amor era tão forte em mim
que mais parecia um quadro a nanquim

por ele, faria da sala o meu altar
e imitaria uma tela de Renoir

amor me mostrava meu lado insano
e cada vez mais era uma tela de Tiziano

e na simplicidade do amor
me via nas paisagens de Rousseau

Eu sei que amar
acima de tudo é uma arte

Romantizar é só para novela
e dicotomizar não era comigo
nem em telas

Amor...

nós dois já somos mais que um traço
não quero me geometrizar feito um Picasso

No fim, retratar o amor é perigoso
faria algo impressionista e fatal

Pintaria o tempo todo
nós dois voando,tendo as asas de Cheval ...

 

Adri Lima




Arte by Michael Cheval

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Anjo Avesso


Quando caminho por lugares
onde cultivo o esquecimento
 
sinto meus fantasmas
como anjos caídos 
-sem luz, sem sentido
 
asas quebradas
e com abertas feridas
por eles, emudeço

agora escrevo
para dentro

 
as palavras
são internas
feito pensamentos
  
são elas que me dão
o pão de cada dia
 
sílabas unidas
e balbucio então, a profecia :
 

- ah, amor me silencia
 
e toda a religião que
em mim havia 
 
culpa-me de um frio  
nessa ilusão de meio-dia
 

sinto ressoar a voz


-és meu espírito de luz
em minha míope nostalgia

 




Adriane Lima






Arte by Jeanette Guichard Bunnel  

Renovando tons





Sinto tanto, tanto
mas não falo
acalento o pranto
me resguardo


quando percebo
que vou falar
o que não devo
 
acelero o pensamento
extendo asas para dentro
não perco tempo
 
vendo os defeitos
alheios
recolho os meus
sem medos
 
coloco-os na crisálida interna
chamada tempo
 
para que sejam
coloridos de novo
 
renasce em mim a fé
daqueles que deixei 
partirem sem cor
 

- tempo é amor


 


Adriane Lima









Arte by Patrick Lech'l 

Submerso ...






Há um iceberg
boiando em minhas pupilas
embaixo o que não se vê
é o cerne de minha rotina ...

Adri Lima





Mansidão em mim











Nem as nuvens ficam
até elas passam apressadas
meus olhos parados no tempo
são mansos bois de invernada ...


 

Adri Lima





arte by Ana Kravonenko


Florada do tempo





Em tarde de sol
borboletas multicores valsam
em um pé de jasmim
e minha íris paira
em jardins dentro de mim...


Adri Lima








Arte by Eric Montoya 

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Notas em descompasso

                         


Meu escrever
anda delicado
quero dar-lhe
um ritmo de samba
mas ele vira fado ...





Adri Lima



arte by  Paul Kelley

Dúbio

Viver hoje
 é presente de grego
escondo-me nas armadilhas
que Helenicamente me vesti



Adriane Lima  







Arte by Patrick le Hec'h

Tons de mim



 
 
 
Queria colorir meu rosto
para retratar minha face onírica
alquímica borboleta translúcida
entre versos lilázes e céu em final de tarde
 

mas, o mundo é espelho
e hoje encontro-me em preto e branco
 

colorir-me seria
ter apenas o tom
do sangue
de meu próprio parto


eu não seria flor
tão pouco pássaro
mulher multicor
seria hoje fazer-me
colcha de retalhos

-costuradas
máscaras em descompasso

 

e assim sendo
não teria o mesmo
ardor das cores
da vida que vai nascendo

tudo que definha é cinza
nuances de branco e preto ...

 



Adriane  Lima




Arte by Carol Carter  

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Alice que me habita,entre a realidade e a magia ...

 
 
Estranha são as horas onde
o pulsar de meu relógio interno
me ergue de volta a vida

vai me revelando
que o tempo
não anda para trás

a vida , não ri
quando vê alguém chorar

tempo interno
não é a solidão
é pausa para desaguar
o que pode um dia não voltar

para tudo há o tempo
de prender e de soltar
de espalhar pedras
e tempo de ajuntar

nem tudo é ilusão
a flor que se plantou
em algum canto não feneceu

roda vida
vida roda
entre cartas abertas ou fechadas
tudo tem seu apogeu

mãos me pedem asas
para o impulso de voar

batemos queixos
batemos palmas
na hora de se soltar

mesmo seguindo
em ilusão alheia
entre histórias e motivos
para tudo aquietar

vou as avessas
na vontades do tempo
descobri por mim mesma :
calma e alma não
sabem juntas contracenar

e na velocidade dessa vida
sem cabresto, vou seguindo

pelas bordas do caminho
há flores,há espinhos
palavras e silêncios

e minha criança interna
viaja além de espaços
redodamente livre

mesmo sabendo ser
contraditória a arte
de brincar entre anões e gigantes ...





Adriane Lima







 Imagem retirada da Net 

A doce visão do escuro




Minha dor é o jogo
da roda do infortúnio
pássaros comendo carne
de meus restos humano

restou-me bem pouco

além da sujeira
dessa lama

norte , sul, leste, oeste

pretéritos de um mundo inteiro

uma gaveta sempre aberta

para encontrar a palavra certa
para dissonâncias,interrupções
dessa minha roda de ilusões

vou pulando os desafios

dentro de mim, tempo vazio
impulsionando alguns lampejos

é ausência sem consolo o

que ganho em abandono
a vida petrificada
entre círculos mundanos

ando por labirintos

e sou guiada pelo instinto
dos sonhos que guardei
dos desejos que sangrei

de tudo que fui

e do todo que não ousei

hoje albergo-me

em memórias
e me indago 

se um dia poderia
ter sido outra
a minha história


 

Adriane Lima






Arte by Igor Morski  

domingo, 9 de setembro de 2012

Há mar em mim

 
 
Hoje revejo minha vida
e a sinto inquieta como o mar
mergulhos, saídas e desencantos
como as ondas
os vaivéns de meu pranto
me puseram a navegar

sal de lágrimas que
obrigaram-me a irrigar
solos equidistantes

por territórios inimigos
precisei me afastar

Fui marinheira além do meu olhar
visionária de portos acima
do que poderia acreditar

encante-me com horizontes
onde pude me acalmar
sofri batalhas impossíveis
mas consegui me salvar

Minhas dores abafei
aprendi a cantar
soube ser calmaria
em plena tormenta
em meu lar

navegante segui
mesmo sem desejos
de novas terras conquistar

e todas as rochas
em que me choquei
tornei-me mais
forte ao me levantar

Mudanças de rotas
de rumos, de planos
fiz tudo o que foi possível
de verdadeiro e humano
para viver o que pude sonhar





Adriane  Lima









Arte by Igor Morski 

Simbiose





Há dias vazios
feito apenas das horas
que por ele passam
desabito-me

 
sou cada nome que vejo
e que me transpassa :
sol, lua,  flor, estrela e vento
de tudo sou um pouco
e de mim nada





Adriane Lima


Arte  by Belinda Eaton
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...