sexta-feira, 8 de junho de 2012

Via-láctea



Encaixei no teto
tuas palavras
indecisões
não cabem
nas estrelas

Adri Lima



( imagem:Edson Campos )

Flor mulher





Acreditei ser flor
bebi a chuva
e em tua voz liquida
me despetalei de amor ...

Adri Lima 


( imagem retirada da net )

Ternura




Acordei desértica
não árida
em mim haviam oásis
de músicas e poesias

Adri Lima

Blues


Mar alto
de incautos olhos
ostras assexuadas
povoam conchas
de salgadas lágrimas
e úmidas vozes
aquariando
o lume disforme
do peixe espada
onde a mulher amada
emerge
em saudade (e) blues ...

Adri Lima
 
( Imagem retirada da Net )

Algemas poéticas



Somos nós servos das palavras
escravos do tempo
com a bagagem na memória
raízes de nossas histórias

Seguimos :

nas pregas dos dias
os sentimentos
uns calmaria
uns ousadia
alguns tormentos
outros arrependimentos

O silêncio abre a janela do novo
com ele olhamos o enigma
e caminhamos
mesmo que cansados
respiramos fundo
em busca dessa virgindade
sem vertigem
e com coragem

submeto-me ao tempo
ele é meu senhor, bem sei
e quando estou fraca
ele põe poesia em mim
arte que me nasce todos os dias
pelos meus olhos, poros e dedos

a ampulheta me algema
e eu tento ser eu mesma
explicando pouco e
sentindo muito, então, sigo

pelos meus tormentos viajo
com elegância,me dispo do ego
me lavo com as cores do cotidiano
tons matizados do cinza ao rosa

minha alma livre
não conhece essas algemas
o singular do tempo
os sonhos amassados
os verbos não usados
as metafóricas mentiras

o que me pesa
são as fragilidades
os pedaços humanos
que todos nós carregamos
de tempos em tempos
onde todos tem seu preço

 


Adriane Lima


Arte by  Tara Juneau  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...