quinta-feira, 19 de junho de 2014

Ao que foi sangrado


 

Abro os braços e pernas para o mundo
faço um eterno socialismo de meus pedaços
a revolução que cravei era luta interna
e na paz que busquei, fui derrotada
não houve soldado que tomasse posse
não houve brinde que acalmasse a sede
houve uma vida derramada em tantas bocas
perdição e jogo em cada vã batalha
onde a noite, eu rezava
por ter meu coração costurado

 




Adriane Lima







Arte by Francine Van Hove






















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...