quarta-feira, 3 de julho de 2013

Poema invernal





Eu me desfaço
sou tantas entre
as surpresas da vida
vou me juntando
em personagens
para que possa
aguentar :
dores descabidas
ausências sentidas
arrogâncias cáusticas
nas horas vividas
me derreto em prantos
cada parte de meu corpo
se revela e se rebela
queima-me o pulsar
da solidão da noite
e nesse silêncio me
abranda o espírito
eu me transformo em outras
em pleno nascer do dia
teço em vocábulos mornos
a quentura interna
e assopro a nata
das palavras encobertas
é nesse liquido
que a poesia vence
e me encontra
na superfície
do que vai, me derretendo

 
 
 
Adriane Lima
 
 
 
Arte by  Edson Campos

2 comentários:

  1. eu também sou dia... a noite é apenas para a poesia..

    ResponderExcluir
  2. A noite é sempre inspiradora dos poetas!!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...