quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Liquidez



Mulher embebida
liquida,solta
mulher dissolvida
que escorre
em doces caldas
agridoces feridas
feita em ácidas verdades

feminina em curvas
longilínea em sorrisos
sinuosa em palavras

Não me venhas em mistérios
Se tens esperanças
respires livre
diga-me teu gosto
tempero de relva
orvalhando infinito

Se em verdades sinto
tinto, branco ou rosê
te direi se estou disposta
a ser degustada
e o que está escondido
te revelarei

suave, seda ,veneno
um tanto asas
horizonte em brasas
furtiva e leve
em tua pele
estarei disposta
a dedicar-me

mel e céu
seu e meu
palavras provocadas
em gemidos de amor

 
 
Adriane Lima

Um comentário:

  1. Adorei o teu poema. Belíssimo.
    Parabéns pela tua criatividade.
    Querida amiga Adri, bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...