quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Matizes



Amanheço em negro
como teus olhos
Furtando a cor de minha dor
sobre meus ombros 
Liláses incandescentes
vagam somente, por nuvens claras
É minha mente desprevenida
matizando as cores
 e as estrelas, verde-limão
pintam de branco seu coração. 
Guardam meu pranto
perdem o tom e então,
vermelho, feito um punhal
cravado em sangue é meu desejo 
O verde oliva, somatiza o que não vejo.
Três da manhã, vivo a insônia
azul begônia e feito aflição
flor de alcaçuz não me traduz 
As cores vão... as cores são...
caleidoscópico jogo numa cor fogo. 
Ponho na tela o abstrato destes sentidos :
o malva antigo, o rosa chá e o boreal
acho normal, abrir o negro destas retinas
ir clareando do cinza ao branco os pigmentos. 
E fecho os olhos, os meus, castanhos e então me lembro: - que nem mesmo sei, o tom real de tua pele


 
 
 
Adriane Lima
 
 
Arte by Joanna Zjawinska
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...