quinta-feira, 23 de abril de 2015

Nua ideia





Há sempre em mim
algo contido
que nutre meu verso
tornando-o arfante


há sempre em mim
algo escorrido
que escapa de meu verso
tornando-o infante


quase uma meditação
quase uma maldição


nem sempre é o bastante
pertencer a poesia
forjar voos
jogar-se em abismos
dosar sofismos


em mim há delicadeza
sem hesitação
há o sofrer errado
querer tudo
e não desejar nada


não há poema
só poesia
há sempre em mim
um acorde dissonante





Adriane Lima








Arte by  Juan Carlos Manjarrez

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada Américo,
      Sempre tão bom ter você aqui,vivendo comigo a poesia do viver !!!!

      Obrigada

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...